Páginas

quinta-feira, 16 de maio de 2013

"Pagando o Mico" em Petrópolis (RJ) - Programa de viagens até R$20

Houve um tempo em que a ideia de viajar de bicicleta era algo que nem sequer passava pela minha cabeça. 

Contudo, eu sentia uma vontade imensa de viajar. Pra longe, pra perto, não importa, desde que meu pouco dinheiro desse. Uma das minhas raríssimas experiências fora de casa havia sido em uma viagem missionária para o interior da Bahia, em 2007, durante as férias. Após isso, voltei àquela vida normal de escola-trabalho-casa, mas ansioso para cair na estrada.


E no início de 2010, no auge dos meus 19 anos, com o término das obrigações escolares e passando por um breve período desempregado, conversei com alguns amigos sobre a ideia de tentar chegar o mais longe de casa e voltar com apenas R$20. Pedro se empolgou com a história, e logo evoluímos a ideia para um programa/videocast que mostrasse como faríamos isso. Valia tudo: Mil baldeações intermodais, carona, trilhas, etc.


Apesar de, infelizmente, termos abandonado o projeto - pelo menos temporariamente -, registramos bons passeios em Paraty, Ilha do Martins (Itaguaí/RJ), Parque Estadual da Pedra Branca e Petrópolis, que você pode ver abaixo:


Nunca tivemos muita paciência para dar continuidade de forma séria ao projeto, editando melhor o material ou fazendo uma abertura em desenho animado, como imaginávamos originalmente. O nome "Pagando o Mico" vem da nota de R$20 e o animal que estampa seu verso. (Dica: Não é o Mantega).


Apesar de não ter a melhor produção, ao assistir esses vídeos hoje sinto uma boa nostalgia ao ver como pensávamos há alguns anos atrás, e como aqueles moleques de outrora hoje se embrenham pelo mato, pedalam centenas de quilômetros, pegam carona e planejam voos mais altos...


Uma coisa é certa: Pagando mico, onça ou peixe, aprendemos que sair de casa e viver novas experiências - fossem elas de um dia, um final de semana, um mês ou um ano -, era muito mais simples e barato do que parecia ser.

--

Sobre a viagem (Rio x Vila Inhomirim X Petrópolis)

Como o vídeo mostra, foram necessários (na época) apenas metade do valor proposto e muita disposição para fazer o caminho de ida-e-volta do Rio à Petrópolis.
  • Trem de Campo Grande para Central do Brasil, com baldeação para Saracuruna e baldeação para Vila Inhomirim: R$2,50 (ida-e-volta = R$5,00);
  • Ônibus de Vila Inhomirim para Alto da Serra (Petrópolis): R$2,50 (ida-e-volta = R$5,00);
    Total: R$10,00
Ainda hoje o trajeto pode ser feito de maneira bem econômica, gastando-se R$3,20 do trem (ida-e-volta - R$6,20) e R$2,75 do ônibus (ida-e-volta - R$5,50), totalizando R$11,70.

Em um mundo perfeito, poderíamos gastar bem menos, já que a integração Trem + Ônibus no Rio é de R$3,95, mas infelizmente só é válida por 2 horas, enquanto o trajeto de trem da Central até Vila Inhomirim pode levar pelo menos umas 3 horas... Pra piorar, os horários dos trens são terríveis e exigem malabarismos no planejamento.


Mas apesar da longa viagem, que chega facilmente às 4h30 totais em um trajeto de apenas 80km, tudo vale a pena. Desde os caminhos rurais das linhas mais longínquas da Supervia até a subida da serra da Estrela, caminho para Petrópolis, cheia de curvas e com uma vista linda. Além, é claro, da cidade de Petrópolis propriamente dita, que é muito bem arrumada, limpa, com belos monumentos e arquitetura invejável.


Ainda existem outras formas de fazer essa viagem gastando menos ainda, através de uma trilha bem legal.

Postarei os outros vídeos em breve.

2 comentários:

  1. Kkk me ajudou muito estava pensando em fazer esse trajeto mais desisti depois de seu depoimento!!! Obrigada

    ResponderExcluir

Comente, sugira, critique!